Você, agricultor ou consultor técnico, já deve estar se acostumando a ouvir novas palavras e expressões que definem tecnologias específicas da Agricultura Digital. Dentro desse novo cenário, estão surgindo startups de tecnologia aplicadas ao Agronegócio – as Agtechs ou Agrotechs – que já estão revolucionando a forma como entendemos e como lidamos com a agricultura.

Elas têm como principal missão desenvolver novas tecnologias capazes de gerar informações precisas para o agricultor ou consultor tomar as melhores decisões. A consequência é uma maior produtividade e rentabilidade no campo, gerando confiança e crescimento para todo o setor.

Nos Estados Unidos, a presença das Agtechs na agricultura se intensificou em 2013 com a compra da Climate Corporation pela Monsanto, pelo valor estimado de US$ 1 bilhão. Essa transação abriu as portas dos investimentos no setor agrícola, ultrapassando outros grandes setores da economia. No Brasil, tudo isso é ainda novidade, mas o agronegócio já está recebendo algumas importantes Agtechs que começam a movimentar e a expandir as possibilidades de crescimento para os produtores.

Não podemos fechar os olhos para os benefícios de contar com essas novas tecnologias trazidas pelas Agtechs, que chegaram para fazer a diferença e revolucionar o setor.

Um dos fatores que acelerou o surgimento das Agtechs no país foi a melhoria na infraestrutura tecnológica, incluindo a conectividade através da Internet e do uso cada vez maior dos celulares, imagens de satélite, e alfabetização digital dos agricultores e consultores técnicos. Isso tudo expandiu a entrada das Agtechs e das soluções de novos produtos e serviços trazidos por elas. Porém, mesmo com todos esses avanços, a conectividade no campo ainda é muito pequena no Brasil, ou seja, ainda temos muito a melhorar nesse quesito.

Por tudo isso, a previsão é de que as Agtechs serão as startups com mais potencial de crescimento e desenvolvimento a curto, médio e longo prazos no Brasil. Para a agricultura, essa é uma ótima notícia, já que trará desenvolvimento para todos os envolvidos.

Ainda temos grandes desafios que dificultam o crescimento do setor, tais como planejamento, controle da safra, logística, controle das pragas, entre outros. Mas, graças às Agtechs, que podem ajudar a solucionar cada um deles, à medida que vamos nos familiarizando e nos abrindo para essas possibilidades tecnológicas trazidas por elas, essas dificuldades vão sendo sanadas e transformadas em oportunidades de inovação e crescimento.

 

Você também pode se interessar por esses outros conteúdos:
Qual é o diferencial da DigiFarmz?
De que forma a DigiFarmz auxilia no controle das doenças da soja?

 

As Agtechs atuam em toda a cadeia produtiva do agronegócio, desde a escolha das sementes, germinação, plantio, saúde dos animais, produção, gestão dos funcionários, gestão de maquinários, logística, comercialização, administração, e uma infinidade de soluções sem limites.

As Agtechs que estão surgindo no Brasil se dividem em algumas categorias específicas dentro do agronegócio. Selecionamos as principais delas para você ter uma ideia de todas as possibilidades que elas estão trazendo para o setor:

  • Análise laboratorial;
  • Saúde e bem-estar animal e Aquicultura: soluções para o acompanhamento e gestão do bem-estar animal e aproveitamento na aquicultura;
  • Biotecnologia, hard sciences e bioenergia: soluções que tratam a biotecnologia aplicada ao setor, soluções consideradas hard sciences e aplicações em bioenergia;
  • Data analytics, Inteligência Artificial (IA) e Business Inteligence (BI) para a captação, organização, interpretação e utilização das informações para a melhor tomada de decisão;
  • E-commerce e Marketplace para a comercialização da produção;
  • Economia compartilhada;
  • Eco-friendly: soluções que ajudam na produção de insumos e produtos ecologicamente corretos que respeitam o meio ambiente;
  • Farm-to-table: soluções que ligam a produção diretamente ao consumidor final;
  • Fertilizantes, insumos e controle biológico: tecnologias aplicadas à pesquisa e desenvolvimento de fertilizantes, insumos agrícolas e controladores de pragas e doenças;
  • Foodtechs: novos alimentos criados através de tecnologias para atender às novas demandas de mercado;
  • Fidelização, Recomendação e Cashback: aplicações que auxiliam na criação e gestão de programas de atração e fidelização, recomendação e recompensas aos consumidores;
  • Gestão animal e Gestão da lavoura: plataforma e ferramentas que auxiliam na gestão de criação de animais e na gestão das lavouras, integrando as informações e oferecendo uma visão gerencial completa e em tempo real;
  • Gestão de propriedade: plataforma e ferramentas que colaboram na gestão das atividades e rotinas de propriedades, integrando as informações e oferecendo uma visão gerencial em tempo real;
  • Novas formas de plantio e Clima Inteligente: soluções que criam e melhoram as técnicas de plantio, além de ajudarem no acompanhamento e previsão de condições climáticas;
  • Robótica e Automação: soluções e hardwares que auxiliam na automatização das criações e plantações (veículos ou equipamentos) integrando-se a outros dispositivos para uma aplicação inteligente;
  • Sensores e IoT: sensores, rastreadores e outros dispositivos que capturam informações e monitoram criações, propriedades e plantações;
  • Serviços Financeiros e Blockchain: plataformas e aplicações focadas nas operações financeiras no setor, e blockchain para a digitalização de processos do campo;
  • Traceability: soluções para o monitoramento e acompanhamento de ativos, insumos e produtos relacionados ao campo, que registram o histórico de origens e caminhos percorridos;
  • VANTs, Drones e Geoprocessamento: soluções que integram o uso de equipamentos de navegação aérea como Drones e VANTs com a captura e processamento inteligente de imagens para diferentes demandas do setor.

Analisando todas essas vantagens e todas as soluções que elas abrangem para o agronegócio, podemos concluir que, apesar de as Agtechs serem um fenômeno relativamente recente, elas já estão definindo o presente e o futuro do setor no Brasil e no mundo.

Vamos fazer parte dessa tendência e começar a ganhar com tudo isso?

Conte com a DigiFarmz para essa missão, afinal, somos uma Agtech e trabalhamos para dar segurança aos produtores, técnicos e empresas do agronegócio, auxiliando-os no controle de doenças da soja, para que todos obtenham melhor produtividade e rentabilidade, com maior eficácia na alocação dos recursos.

Deixe uma resposta