Mercado Agrícola

Brasil volta a ser maior produtor de soja do mundo

Com o fim da safra 2019/2020, a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada na última quarta-feira 8 de julho, aponta que o Brasil recuperou dos Estados Unidos o posto de maior produtor de soja do mundo. Segundo o órgão, entre julho do ano passado e junho deste ano, foram produzidas 119,9 milhões de toneladas da oleaginosa no país, superando os Estados Unidos, que tiveram uma quebra de safra de cerca de 20% nesta temporada. E isso reforça o bom desempenho da agropecuária brasileira, mesmo em meio à crise gerada pela pandemia de covid-19.

Maior produtor de soja

Sobre os números deste ano, Carlos Antônio Barradas, analista de agropecuária do IBGE, pontuou: “o produtor brasileiro está sempre investindo mais em tecnologia e na ampliação de área de plantação. Com toda essa instabilidade econômica, que eleva o dólar, ele planta porque sabe que seu produto, principalmente soja e milho, são corrigidos em dólar, então o preço está sempre bom. Isso vem gerando recordes sucessivos na safra”.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) aponta que, no período 2017/2018, o Brasil já havia se tornado o maior produtor de soja do mundo, mas isso não se repetiu no ano seguinte, quando os Estados Unidos superou o país por 1,5 milhão de toneladas. Agora, se reconhece a ultrapassagem brasileira, como também se estima que na safra 2020/2021 o Brasil deverá se consolidar na posição, produzindo um recorde de 247,4 milhões de toneladas de grãos, 2,5% acima de 2019, conforme o IBGE.


Você também pode se interessar por esses outros conteúdos:
6 Dicas para economizar na compra de defensivos
Como saber quais os melhores defensivos?

 

Nos cálculos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), os resultados foram ainda maiores, de modo que teriam sido produzidas 120,9 milhões de toneladas de soja e 251,4 milhões de toneladas de grãos na safra 2019/2020.

Segundo Barradas, a disponibilidade de terras e a tecnologia de ponta, que leva eficiência ao campo, ajudam a explicar os sucessivos recordes na produção agrícola nos últimos anos.

Deixe uma resposta